GCLIO

O Grupo Clio é uma associação de educadores dedicados ao ensino, pesquisa e cultura, sua fundação oficial se deu no ano de 2008, a partir dos anseios de um grupo de historiadores que buscavam construir um verdadeiro fórum de debate sobre inúmeras questões pertinentes a educação e a democracia em nosso país. Atualmente o GCLIO reúne educadores das mais diversas áreas e espaços de atuação com o propósito de ampliar os horizontes do nosso povo, construindo a unidade possível em torno da democracia e do republicanismo, e o consenso necessário da educação nas suas mais variadas vertentes. Defendemos a universalização do ensino público com a qualidade necessária para habilitar nossas crianças e jovens na vanguarda civilizacional através de dois pilares básicos a inclusão social e a participação política.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Artigo do Prof. Ítalo Hide sobre Segurança Pública.

SEGURANÇA PÚBLICA: QUANDO A POLICIA É O PROBLEMA

Os últimos fatos que envolvem a policia militar no Brasil colocam em xeque a segurança pública nacional. Em Fortaleza, o assassinato do jovem Bruce morto por um policial que faz parte do programa de policia cidadã Ronda do Quarteirão, nos deixa em estado de pânico e nos permite entender que o medo da violência é muito mais legitimo do que a certeza da proteção do Estado. No Rio de Janeiro, o atropelamento que provocou a morte do jovem Rafael Mascarenhas fez emergir novamente um problema grave que assola não só a policia, mas todo o país que é a corrupção. A ocorrência desses dois fatídicos fatos demonstra a repetição de um problema crônico que se encrava no seio da nossa sociedade e que nos leva a tragicamente concluir que segurança pública no Brasil não inspira confiança.

SEGURANÇA PÚBLICA: QUANDO A MIDIA É O PROBLEMA

O goleiro Bruno tem sido o principal protagonista do desaparecimento da jovem Eliza Samútio. Caso as acusações se confirmem, ficará revelada uma face perversa e assassina de um ídolo do futebol brasileiro. Entretanto, caso seja condenado, não é só o goleiro do Flamengo que tem afrontado a Lei, a mídia tem repetidamente desrespeitado o art. 20 do Código processo penal. O dispositivo da Lei penal diz o seguinte: Art. 20 - A autoridade assegurará no inquérito o sigilo necessário à elucidação do fato ou exigido pelo interesse da sociedade. O sensacionalismo midiático em torno do caso objetiva muito mais computar o máximo de pontos em audiência do que contribuir para a elucidação dos fatos. Assim sendo, mais uma vez a Lei é afrontada no nosso país. Na mesma linha estão os programas policiais que abordam ações criminosas e de prontidão já vão apresentando e condenando os envolvidos sem que estes possam ao menos se defender daquilo que considero a pior das sentenças que é a opinião pública. Detalhe, nesse julgamento que ocorre na plenária midiática, presidida por um apresentador com perfil de dramalhão e que atua também como promotor está a opinião pública formada por um contingente de pessoas amedrontadas pela violência e envolvida pelos os discursos daqueles que pregam justiça a qualquer preço. São essas pessoas que atuam como corpo de jurados e representam aqueles pontinhos valiosos de audiência. Ao réu midiático não é permitido nem um advogado de defesa e, desse modo, desrespeitado estão os princípios constitucionais da presunção de inocência, da ampla defesa e do contraditório. O pior é que boa parte desses apresentadores atuam como legisladores.

SEGURANÇA PÚBLICA: QUANDO A POPULAÇÃO É UM PROBLEMA

Um dos temas que vão marcar as eleições de 2010 é a segurança pública. Boa parte da população sofre com o avanço da criminalidade e pela falta de cumprimento da Lei. Entretanto, pesquisas comprovam que uma das principais insatisfações com o atual governo cearense são as atuações da CPRV. Esta tem realizados várias apreensões de motos e carros que estão em situação de irregularidade. A justificativa do poder público para a realização dessas ações policiais são os muitos acidentes automobilísticos, as ações de criminosos que atuam principalmente em motos e grande número de motos e carros roubados no estado do Ceará. A população que tanto anseia pelo cumprimento das Leis nacionais condena a CPRV por ela está fazendo valer a Lei. Interessante é o argumento que os transportes apreendidos servem como instrumento que ajuda na sobrevivência do pobre agricultor, entretanto, esconde que esses mesmos transportes servem também de instrumento para as farras alcoólicas de habilitados e inabilitados para pilotar, além de menores de idade que colocam em risco a vida de vários cidadãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário